terça-feira, 4 de novembro de 2008

Tire as crianças da sala

Leia antes de assistir

O nome dele é Lasier. Lasier Martins. Quem não vive no Rio Grande do Sul, não sabe do que está se livrando. Trata-se do "comentarista" do Jornal do Almoço, na RBS TV, de que já tratamos há alguns dias. Este cavalheiro ficou mundialmente famoso por ocasião de uma Festa da Uva, em Caxias do Sul, quando levou um espetacular choque elétrico ao tocar - veja você - em um cacho de Cabernet Sauvignon (veja aqui as cenas chocantes). Mas, dizíamos, Lasier Martins é uma espécie de cérbero (não confunda com cérebro) das oligarquias guascas e o porta-voz da Camorra sirotskiana. Enquanto o PT esteve na prefeitura de Porto Alegre, as pautas do loquaz Sr. Martins iam desde os buracos nas ruas dos bairros periféricos até a temperatura do ar-condicionado dentro dos ônibus da Carris, a empresa municipal de transporte coletivo. Qualquer coisa valia para desgastar o PT e apeá-lo do Paço Municipal. Por ocasião da vitória de Germano Rigotto ao governo estadual - e a conseqüente derrota de Tarso Genro e do PT - , este senhor chegou a comemorar o feito com espumante, ao vivo, na TVCOM, o canal comunitário da RBS. Veio em seguida a eleição de José Fogaça à prefeitura de Porto Alegre e, a julgar pelas falas de Lasier, todos os buracos da cidade foram tapados e a temperatura interna dos coletivos, agora sim, estava civilizada. O zeloso comentarista passou, então, a tratar de temas "federais": febre amarela, apagão, caos aéreo, inflação, dossiê, grampo... Com a eleição da tucana Yeda Crusius ao Piratini, parecia que todos os problemas de Lasier haviam terminado. Mas...eis que o "novo jeito de governar" começou a mostrar sua verdadeira cara. O escândalo do Detran gaúcho, que escapou do controle da RBS, revelou que o próprio Lasier era beneficiário de mimos por parte da autarquia estadual. Sobre isso, bico calado. A ordem era blindar a governadora, desviar o foco das falcatruas para personagens de terceiro escalão. Entra em cena a mansão de Yeda, comprada logo após a eleição com dinheiro suspeito em operação idem. Bah, um escandalaço! A tenebrosa transação imobiliária, por força da repercussão que teve, invadiu a pauta do Jornal do Almoço.

Naquele início de tarde ensolarada, a apresentadora dá a notícia e passa a bola para o refulgente comentário do denodado Lasier.

Agora, sim, tome um Dramin e assista ao vídeo - só o primeiro minuto basta.

9 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Eu vi o Flávio Vaz Netto bem algemadinho na capa da ZH. Eu assisti toda a CPI do Detran e suas falcatruas e picaretagens na Rádio Gaúcha que divulgou todas as conversas. Eu ouvi o Busatto conversando com o Feijó na rádio gaúcha. E depois dizem que a RBS está hipnotizando o povo do RS porque ele insiste em não votar em candidatos de certa esquerda. Se isso não é cortina de fumaça, o que é cortina de fumaça?

Cloaca News disse...

Você viu tudo, meu caro Maia. Só não viu - nem ouviu - a cara de sua querida governadora associada à gatunagem. Algum veículo da RBS foi tomar satisfações diretamente com dona Yedinha, a chefe de toda a pandilha?
Pelo jeito, você se contenta com pouco, caro Maia.

Stella disse...

Nem tomando Dramin tenho estômago porque sei muito bem o que me espera. Desse cidadão só assistiria o vídeo do choque, que cá entre nós, poderia ser 10 vezes maior.

Cloaca News disse...

Pusemos o link do choque no texto...

Anônimo disse...

Vejam no blog da Rosane Abelhinha o meigo vídeo no qual a secretária Mariza Abreu mostra o que anda lendo nesses dias de Feira do Livro.
Fiquei muito surpreso ao constatar, pelo título da obra, que já existe literatura sobre o (des)governo Yeda (a)Crusius (que o Rio Grande carrega).

André Isaac Souza disse...

Só é suportável, mesmo,se ouvirmos o seu conselho e tomarmos um dramin. Apesar de que se notarmos que o vídeo exposto é apenas uma lasca das garras da direitona, um único comprimido da referido remédio será pouco. Parabéns, Cloaca. Nós de SP e do Brasil precisamos também saber mais afundo dos ardis do 'esgoto' gaúcho.

Anônimo disse...

É uma padrão do jornalismo rasteiro neste Brasil. Põe-se em destaque aquilo que se quer ver e ouvir e quebra-se a reflexão fanando-se de banalidades. É como se os temas fossem estanques. Pior que nem trouxeram autoridades para debater o tema. Parou tudo por aí. Não existe mais corrupção. Tudo é Sol brilhando. Acho que não passou de um sonho ruim.

Paulo disse...

Acompanho o Blog há pouco tempo, mas estou satisfeito com as críticas apresentadas aqui.

Por mais que a mídia tente esconder as falcatruas políticas, a verdade acaba por aparecer.

Acompanharei o desfecho desta fatídica novela real por este canal.

Paulo

Anônimo disse...

aquelas uvas não fizeram o serviço direito!!!