sábado, 28 de março de 2009

CASCATEIRO DE TABLÓIDE GAÚCHO SILENCIA PROFESSOR DE JORNALISMO

Um batedor de chapas, com carteirinha de repórter fotográfico, obteve da Justiça, ainda em primeira instância, o direito de não ser identificado pela alcunha com que é conhecido até mesmo no local em que trabalha. Com a sentença judicial, Ronaldo Bernardi - ou Fotonaldo, como o chamam seus amigos - obrigou o Professor Wladimir Ungaretti a retirar de seu website Ponto de Vista e do blog homônimo qualquer alusão à sua pessoa e à sua obra "fotojornalística". Ungaretti, que dá aulas de Jornalismo na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, notabilizou-se, entre outras virtudes, por desenredar as tramóias da imprensa diária, particularmente as perpetradas pelo tablóide gaúcho Zero Hora, do Grupo RBS (afiliado da Globo). Sua crítica ao jornalismo, porém, sempre foi didactológica, jamais ultrapassando os limites da civilidade, a despeito do tom irônico de suas opiniões. Ocorre que o Professor, sucessivas vezes, desmontou, de maneira cabal, inúmeras farsas fotográficas do lambe-lambe publicadas no jornalzinho. Entre as imposturas fotonaldianas, as mais comuns seriam os "flagrantes produzidos", cenas montadas para legitimar certas "notícias" de interesse da corporação midiática. Pela contumácia dessas práticas espurcas, alguns adjetivos acabaram ganhando relevância diretamente proporcional. É o caso do epíteto "cascateiro". Segundo Pai Aurélio, "diz-se de, ou aquele que diz ou escreve cascata". E, no jargão do Jornalismo, cascata é "matéria inconsistente, retórica, sem fatos, e geralmente longa". Parece-nos que o queixoso não ousou contestar esta pecha judicialmente. Preferiu ocupar o tempo dos magistrados com uma querela antonomásia. Cascateiro, sim; Fotonaldo, jamais!!! Retirar todas as menções feitas ao dito cujo das páginas do Ponto de Vista custaria ao Professor Ungaretti um tempo e uma paciência de que, parece, ele não dispõe. Por isso mesmo, para atender à decisão da Corte, o Mestre achou por bem retirar de circulação todo o conteúdo de seus sítios eletrônicos. Confira aqui e aqui. A blogosfera que não tem medo de cara feia está mobilizada em solidariedade a Wladimir Ungaretti. De outra parte, a mídia sabuja e lambeteira não solta um pio a respeito desse atentado à liberdade de expressão. Entre todas as manifestações que já lemos, de apoio ao Professor, nenhuma nos tocou mais que a escrita por Ariela Boaventura, do blog Bovinenses. Um verdadeiro libelo contra a estupidez, que você poderá conferir clicando aqui.

7 comentários:

Sueli - Porto Alegre disse...

A Ariela tem que aprender com a Martha Medeiros,que é escriTORA e acho que tb decoraDORA.Muito bom o post e o da Ariela tb.

abraço no post

Anônimo disse...

Mas, apesar de tanta censura despudorada, há um brilho no horizonte, de quem escreve"...grave obstruir a Justiça com querelas de ordem pessoal. E não é salutar cercear a boca, a pena, toda e qualquer forma de expressão..."
Maravilhosa Ariela.

Alonso.

João Paulo disse...

É uma lástima que eu não tenha podido ler a Ariela, a página abre com uns textos se sobrepondo aos outros, de modo a tornar impossível a leitura.

Anônimo disse...

pelo menos ainda dá pra ler o blog no cache do google...

fabi

Remindo disse...

Nãqo sei como vocês embarcam a loucura do WU, as acusações sem provas ao fotografo, levaram o tiozinho a enfrentar a justa. Em jornalismo, acusou provou. O Barrionuevo assim como o Wu se deram mal nas inverdades. E depois querem que os blogs sejam levados a sério.

Teresinha Carpes disse...

Suely,adorei o abraço no Post!Um abração prá ti...

blog O DILÚVIO disse...

Forza Ungaretti !