segunda-feira, 24 de agosto de 2009

SERRA SUPERFATUROU PAPEL HIGIÊNICO NA BOLÍVIA

.
Lançado em 1989, pela Editora Terceiro Mundo, o livro “O pilão da madrugada - Neiva Moreira, um depoimento a José Louzeiro” é, ainda hoje, um grande celeiro de curiosas revelações. Jornalista e ex-deputado federal, Neiva Moreira é um homem de muita história (veja aqui ou aqui).
Logo após o golpe militar de 1964, Moreira encontrou seu primeiro refúgio na Bolívia, onde viveu por um bom tempo. Desse período, narrado por Neiva no livro, destacamos o trecho abaixo, pinçado das páginas 208, 209 e 210.
.
.(...) Quando, em 1964, cheguei exilado com o Kurt ao aeroporto de El Alto, recebi os cumprimentos de um assessor do presidente Estenssoro, que voltara ao poder (Siles estava então em seu 15º exílio) e o convite para que o visitasse em palácio. . Kurt entre o "soroche" e o papel higiênico .
O Kurt complicou a nossa chegada. Ao descer do avião no aeroporto de El Alto, a mais de 4000 metros de altitude, caiu duro e passou quase dez dias na cama, hospitalizado. Pagara o seu tributo ao "soroche", ou o mal das alturas que eu próprio iria conhecer depois, nas andanças pela cordilheira. Ficamos alguns dias num hotel e logo alugamos um apartamento, com José Maria Rabelo, Carlos Olavo da Cunha Pereira e José Serra. Rabelo e Olavo são jornalistas e políticos em Minas Gerais. Estavam, até então, dispersos em hotéis e pensões de La Paz. Marcelo Cerqueira, alojado numa pensão, estava frequentemente reunido ao nosso grupo. Diretor do jornal político-humorístico Binômio e militante socialista, Rabelo deixara a direita mineira em apuros com seu jornalismo cáustico e documentado, que provocou não poucas complicações. Olavo, com um jornal em Governador Valadares, O Combate, teve corajosa atuação nas lutas camponesas do vale do rio Doce; José Serra havia sido presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) e continuava seus estudos de economia que o levaria, anos mais tarde, ao cargo de secretário do Planejamento de São Paulo e, posteriormente, deputado federal constituinte pelo PMDB paulista. ..
E o alemão? . Você não esquece o nosso Kurt. Era (e é) realmente uma figura. Ele se juntou ao nosso grupo no aluguel do apartamento da Avenida Arce, e com ele dividíamos a gestão da casa. Cada um de nós a administrava durante sete dias, e eu me recordo que a última semana anterior à dele tinha sido conduzida pelo Serra. O Kurt, germanicamente, quando foi receber a administração, fez a exigência de uma auditoria meticulosa. Ele queria informações de tudo. Uma das coisas que desejava saber é se tinha havido alguma disenteria na semana anterior. "Que eu saiba, não, respondeu o José Maria, Por que?". - Porque tem aqui 400 a 500 metros de papel higiênico, gasto que o sr. Serra não quer explicar. O Serra ficou furioso e até hoje fica de mau humor quando se fala a respeito. Kurt se aposentou do serviço secreto - não tão secreto -, ficou no Brasil e me visitou na revista, para lembrar os velhos tempos. Em um desfile de carnaval do Rio, reencontrei Serra, que já estava no governo de São Paulo. Ficamos juntos, recordando o exílio boliviano. "Não consigo ainda desculpar esse alemão por causa do tal papel higiênico. Pensando que eu tivesse ficado com o papel. Era só o que faltava!", me disse. (...)
.Antes que você nos deixe um comentário iracundo, acusando-nos de patrocinar picuinhas contra o pobre Zé Chirico, saiba que o governo tucano de São Paulo anda fazendo, à sorrelfa, curio$as negociações com uma importante indústria gráfica mineira, embrulho que trataremos de desempacotar, detalhadamente, nos próximos dias.
.
Com a colaboração do leitor Fernando C. M. Andrade, de Niterói - RJ

17 comentários:

Fernando disse...

O problema de Serra é com papel: falta de diploma; papel higiênico; livros didáticos pornográficos; gráficas mineiras e outras histórias que assombrariam até a Pensilvânia!

SOLDADONOFRONT disse...

Hummm,

Interesante, tem sentido.

Merda + papel higiênico + privada + esgoto = zé pedágio.

!!@v@nte!!

NaMaria disse...

É que o Serra é e sempre foi tarado por papel. Seja em rolo, em tirinhas, em outdoor, em páginas e mais páginas... De fato, tem mesmo um gigantesco negócio novo. Com papel, muito papel na roda. E alguma farta distribuição. Por muitos milhões.

osvaldo trevisan disse...

E no RS a mídia guasca segue aprontando. Vejam a que ponto chega o desespero do jornal Correio do Povo para arrumar agenda positiva para a tia yeda. No sábado 22/08/09 publicou foto na capa da inauguracão do desvio da RS122 em Bom Princípio. Acontece que tal fato ocorreu no dia 15/05/2009. Não esperem do CP bom guerra, para ver quem é mais subserviente, se o CP ou a ZH, legenda na foto esclarecendo o acontecimento. E tem mais! Fizeram uma "química" na foto da véia. Tá magrinha na foto. Conforme o PHA, é o PUM do PIG gaudério.

Almir disse...

Sentimos saudades daqueles tempos românticos em que Zé Chirico usava muito papel para higienizar suas obras. Hoje em dia ele já dispensou essas boas maneiras. E mesmo que mantivesse os bons hábitos de toilete, já não haveria na terra eucalipto suficiente para produzir papel que bastasse para higienizar a obra do governador!

Anônimo disse...

A propósito,
Será que o Kurt continua prestando serviços de Auditor? O dócil Tribunal de Contas de SP está precisando de um homem assim!

Anônimo disse...

O Zé Chirico até papel higiênico ele superfatura!!!!!!

Vai querer ganhar dinheiro às custas das necessidades dos outros lá na Transilvânia!

Dri Viaro disse...

Oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar boa semana.
bjs

aguardo sua visita :)

NEWS FRONT - By soldado disse...

É GOLPE MESMO - LINA VIEIRA TEVE DOIS ENCONTROS COM AGRIPINO MAIA

|REDE|BLOGO| disse...

NÃO ATOA O CLOACA NEWS ESTA NA |REDE|BLOGO|

brasuca disse...

A proveito a data para agradecer o povo gaucho por nos ter dado Getulio Vargas, bem como Brizola e Jango. Grandes homens que pensaram um Brasil grande e UNIDO, ao contrario dos representantes de São Paulo, como FHC. Não é por acaso que os paulistas tem odio de Getulio.

O Jornal Tresler e a Espiral do Silêncio disse...

Para mim foi apenas prudência, preocupação com os seus amigos.

O leitor de Goethe é q tava de mau humor.

Timoteo Batalha disse...

jose serra era o informante que tantos revolucionários verdadeiros procuravam...a razão de tantos denunciados sem explicação, presos e assassinados deve-se às metragens escritas em papel higienico por jose serra enquanto descia o barro e via latas de lixo fazia chegar a seus amigos da ditabranda...mais ou menos como faz ainda hoje quando manda notas e colunas prontas para serem publicadas em seus jornais preferidos.

Anônimo disse...

É injusto atribuir tudo isso ao ze pedagio. É um home precavido.
Mas tem suas fixaçoes. Ultimamente fixado em 'tubos". Tubo..laçoes da Sabesp, tubos da Linha 4 amarela do Metro privatizado, longa Kilometragem de tubos de papel primavera. Sao coincidencias.
Nao seria coerente agora nao gastar os tubos no RODOANEL.

Jean Scharlau disse...

Mais um papelão do tipinho vigarista. É o vício (ou doença) do elemento: cleptomania. Se bem que como possível atenuante ele tem mesmo cara de disenteria.

Anônimo disse...

Sou mineiro
quem é a grafica de MG e qual negociatas fez em SP

serranegra34@hotmail.com disse...

Temos que denunciar está nova todos os atos lesivos ao povo de sp

quem é a grafica mineira e qual a falcatrua?