sábado, 6 de março de 2010

A MISÉRIA MORAL DE EX- ESQUERDISTAS


.
.
Por Emir Sader . . .. . .
.
.
Alguns sentem satisfação quando alguém que foi de esquerda salta o muro, muda de campo e se torna de direita – como se dissessem: “Eu sabia, você nunca me enganou”, etc., etc. Outros sentem tristeza, pelo triste espetáculo de quem joga fora, com os valores, sua própria dignidade – em troca de um emprego, de um reconhecimento, de um espaçozinho na televisão. O certo é que nos acostumamos a que grande parte dos direitistas de hoje tenham sido de esquerda ontem. O caminho inverso é muito menos comum. A direita sabe recompensar os que aderem a seus ideais – e salários. A adesão à esquerda costuma ser pelo convencimento dos seus ideais.O ex-esquerdista ataca com especial fúria a esquerda, como quem ataca a si mesmo, a seu próprio passado. Não apenas renega as idéias que nortearam – às vezes o melhor período da sua vida -, mas precisa mostrar, o tempo todo, à direita e a todos os seus poderes, que odeia de tal maneira a esquerda, que já nunca mais recairá naquele “veneno” que o tinha viciado. Que agora podem contar com ele, na primeira fila, para combater o que ele foi, com um empenho de quem “conheceu o monstro por dentro”, sabe seu efeito corrosivo e se mostra combatente extremista contra a esquerda.
Não discute as idéias que teve ou as que outros têm. Não basta. Senão seria tratar interpretações possíveis, às quais aderiu e já não adere. Não. Precisa chamar a atenção dos incautos sobre a dependência que geram a “dialética”, a “luta de classes”, a promessa de uma “sociedade de igualdade, sem classes e sem Estado”. Denunciar, denunciar qualquer indicio de que o vício pode voltar, que qualquer vacilação em relação a temas aparentemente ingênuos, banais, corriqueiros, como as políticas de cotas nas universidades, uma política habitacional, o apoio a um presidente legalmente eleito de um país, podem esconder o veneno da víbora do “socialismo”, do “totalitarismo”, do “stalinismo”.
Viraram pobres diabos, que vagam pelos espaços que os Marinhos, os Civitas, os Frias, os Mesquitas lhes emprestam, para exibir seu passado de pecado, de devassidão moral, agora superado pela conduta de vigilantes escoteiros da direita. A redação de jornais, revistas, rádios e televisões está cheia de ex-trotskistas, de ex-comunistas, de ex-socialistas, de ex-esquerdistas arrependidos, usufruindo de espaços e salários, mostrando reiteradamente seu arrependimento, em um espetáculo moral deprimente.
Aderem à direita com a fúria dos desesperados, dos que defendem teses mais que nunca superadas, derrotadas, e daí o desespero. Atacam o governo Lula, o PT, como se fossem a reencarnação do bolchevismo, descobrem em cada ação estatal o “totalitarismo”, em cada política social a “mão corruptora do Estado”, do “chavismo”, do “populismo”.
Vagam, de entrevista a artigo, de blog à mesa redonda, expiando seu passado, aderidos com o mesmo ímpeto que um dia tiveram para atacar o capitalismo, agora para defender a “democracia” contra os seus detratores. Escrevem livros de denúncia, com suposto tempero acadêmico, em editoras de direita, gritam aos quatro ventos que o “perigo comunista” – sem o qual não seriam nada – está vivo, escondido detrás do PAC, do Minha casa, minha vida, da Conferência Nacional de Comunicação, da Dilma – “uma vez terrorista, sempre terrorista”.
Merecem nosso desprezo, nem sequer nossa comiseração, porque sabem o que fazem – e os salários no fim do mês não nos deixam mentir, alimentam suas mentiras – e ganham com isso. Saíram das bibliotecas, das salas de aula, das manifestações e panfletagens, para espaços na mídia, para abraços da direita, de empresários, de próceres da ditadura.
Vagam como almas penadas em órgãos de imprensa que se esfarelam, que vivem seus últimos sopros de vida, com os quais serão enterrados, sem pena, nem glória, esquecidos como serviçais do poder, a que foram reduzidos por sua subserviência aos que crêem que ainda mandam e seguirão mandando no mundo contra o qual, um dia, se rebelaram e pelo que agora pagam rastejando junto ao que de pior possui uma elite decadente e em vésperas de ser derrotada por muito tempo. Morrerão com ela, destino que escolheram em troca de pequenas glórias efêmeras e de uns tostões furados pela sua miséria moral. O povo nem sabe que existiram, embora participe ativamente do seu enterro.

23 comentários:

JBmartins disse...

A Grande maioria desses tem problema de identidade, imagina ter um ideal, lutar por este ideal, você consegue e esta na condição de realizar e ideal, e neste momento , vira de lado, ou melhor virou traidor dos seu ideal,.... será que eles conseguem dormir, bom se conseguem é que não são humanos, vivem como bicho.

Blog do Celso Jardim disse...

Os news Lacerdas.
A história se repete através dos tempos Carlos Lacerda recebeu o nome de Carlos Frederico como homenagem aos pensadores políticos Karl Marx e Friedrich Engels. Tornou-se militante comunista, seguindo os passos de seu pai, Maurício de Lacerda, e do seu tio Paulo Lacerda, antigos militantes do Partido Comunista Brasileiro (PCB).
Rompeu com o movimento comunista, na década de 40, e a partir de então, como político e escritor, consagrou-se como um dos maiores porta-vozes das ideologias conservadora e direitista no país, e grande adversário de Getúlio Vargas, e dos movimentos políticos Trabalhista e Inimigo político de Getúlio Vargas, Carlos Lacerda foi o grande coordenador da oposição à campanha de Getúlio Vargas à presidência em 1950, e durante todo o mandato do presidente Vargas, até agosto de 1954.
O que diríamos de Heloisa Helena, ex-PT, que se alinhou enquanto Senadora ao DEM, Marina Silva, petista e seguidora de Chico Mendes, que hoje transita entre os partidos de oposição a Lula, e Roberto Freire ex-PCB, e hoje faz parte da folha de pagamento da prefeitura de Kassab do DEM.
Isso sem falar do ex-presidente da UNE, José Serra que esteve no comício da Central do Brasil, apoiando Jango em março de 64, as vésperas do golpe militar e depois sumiu.
Carlos Lacerda o grande Udenista faz escola

Euler disse...

Esqueceram de incluir entre as fotos ao lado o Gabeira e o Serra, embora haja muitos outros. No fundo, nenhum desses vira-casacas foi realmente de esquerda, pois quem o é tem um compromisso moral, ético e histórico com os oprimidos. Quem apoia projetos neoliberais, quem se alinha à política imperialista dos EUA-Israel, quem persegue os movimentos sociais e se alia aos interesses da mídia bandida que representa o grande capital não pode se considerar de esquerda. Todos eles usam uma suposta origem de esquerda para levarem vantagens pessoais junto aos algozes do povo pobre. Muito provavelmente há também um problema de (mau) caráter destes ditos ex-esquerdas.

ZEPOVO disse...

A caneta do Emir é uma espada cruel, mas justa!

Os fracos que um dia viram a luz da liberdade ao longe, algumas vezes preferem os holofotes artificiais que estão mais disponíveis...

Anônimo disse...

Errar é humano, persistir no erro é BURRICE. Simples assim.

Milton Ribeiro disse...

Assino embaixo e por todos os lados.

V disse...

Puxa...
Parabéns ao Emir Sader.
Obrigado Cloaca por selecionar este texto.
Nem Dante descreveria melhor o círculo do inferno deste tipo de traidor.

trombeta disse...

É tudo por dinheiro.

Experiência de vida: desconfie de radicalismo histérico, são os primeiros a trocar de lado.

Há também os "gênios" incompreendidos da esquerda, aqueles que tem a solução e a fórmula que vão resolver todos os problemas, esses também são perigosos.

gorbachev disse...

Excelente texto do professor Emir Sader, não citou um nome sequer, mas cada paragrafo que lemos trás na cabeça um personagem diferente, todos com convicções pétreas!
"So give me Money, that's what I want!"
Estou vendo agora com tristeza alguns posicionamentos de Marina Silva, mas não acredito que seja por dinheiro!

J. Mazarini disse...

Eu estava lá. Janeiro de 1999. Toma posse o primeiro Governo de Esquerda do RS, com Olívio Dutra ã frente e, em seguida, ocorre a transmissão coletiva dos cargos do secretariado. Falando em nome dos empossados, Flávio Koutzii, que assumia a Casa Civil, faz uma homenagem a todos os militantes sociais que pereceram na luta por uma sociedade mais justa e igualitária. Em seguida, lamenta por aqueles que também pereceram, porém nas suas conviccões, mudando de lado e passando a servico do neoliberalaismo. Neste exato momento, olho para César Busatto, que foi Secretário da Fazenda do governo Britto, que, vermelho e vexado, olhava fixamente para o chão...

Luiz disse...

Coerencia mesmo eh a do Boris CCCasoy. Cotinua defendendo as ideias(?) que tinha quando jovem (a velha da praca ja foi jovem?) Alias, nunca antes na historia deste pais, houve um telejornal apresentado por um ex-terrorista. De direita mas ex-terrorista.

ModeloBrasil disse...

Um modelo para o Brasil - http://modelobrasil.wordpress.com/

Murillo disse...

De longe, o texto mais fascista que já li nos últimos tempos...

Adilson disse...

O curioso desses vendilhões é que: 1) FHC é sociólogo, mas não sabe nada de sociedade;
2) Arnaldo Jabour foi cineastra, mas de cinema nada sabe;
3) Miriam Leitão é crítica de economia, mas deu provas que não sabe nada sobre o assunto; e
4) José Serra diz ser economista competente, mas não é nenhuma coisa nem outra.
Em relação a Roberto Freire, ele nunca me enganou, ou seja, nunca foi de esquerda.

Ines Ferrer disse...

Excelente este texto do Prof. Emir Sader. Como tudo o que escreve e fala, ele é extraordinário.

Luciano Menezes disse...

Recebi uma mensagem com endereço do texto e li.
A frase que mais se encaixa nesses senhores é que existe uma luz no fim do túnel. Apesar deles saberem pensam que estão a dirigir o trem, afinal todos serão atropelados.

Foi muito bomler esse texto no dia 08/março/2010 Dia da Mulher.

Luciano Menezes

Anônimo disse...

Emir Sader não entende porque ex-esquerdistas se voltem com fúria contra a esquerda. Na condição de ex-esquerdista, eu explico pra ele: a fúria vem do fato de que você se sentiu enganado durante muio tempo da sua vida. Mais: foi feito de idiota, um perfeito idiota.

Passei 10 anos vendo o PT dizer que a causa dos problemas do Brasil era a política econômica do FHC. Vi o PT ser contra o Plano Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal, a independência do Banco Central, etc, etc... e banquei o palhaço defendendo isso junto com eles, quando o próprio PT hoje sabe que esses mecanismos estão na base do sucesso do atual governo.

O problema da esquerda é que ela usa a militância como massa de manobra para seu próprios interesses. E no fim enriquece uma meia dúzia de cumpanhêro.

flics disse...

Anônimo das 15:17.

O Emir não fala de "esquerdistas" e sim de esquerda.

Fica olhando, não tira a fantasia de palhaço porque ainda esta de bom tamanho pra ti, que não vou te explicar a diferença não.

patricia disse...

Emir é muito bom.
Parabéns a ele e a vc tb Cloaca.
Vou participar do seu blog com mais frequencia.

MIRABEAU BAINY LEAL disse...

"DOS MEUS COMUNISTAS CUIDO EU!"

É significativa essa frase do ROBERTO MARINHO ( falecido em corpo, ainda vivo em corporação), pois dá a idéia exata de que os DONOS da grande mídia empresarial, mercantil e patrimonial, tratam os subordinados como se fossem seus ESCRAVOS, nada além do que meros "materiais humanos" que fazem parte do patrimônio da empresa.

Lembrei de um mote que os capitalistas brasileiros lançaram, no século passado, para tentar desmoralizar os ideais da esquerda socialista:
"O homem é comunista até passar a receber 10 salários-mínimos".

Ou seja, no pensamento da direita capitalista, todo ser humano é um bem material que pode ser cotado monetariamente, tem um preço e portanto pode ser comprado.

Os ex-esquerdistas que se associaram a esta idéia, ao mesmo tempo em que se desvalorizaram como seres humanos, serviram para corroborar esse pensamento da direita capitalista.

Só que, com a gradativa queda do poder aquisitivo do salário-mínimo, que veio acontecendo desde JK, passando pelos governos dos generais ditadores, depois por Tancredo/Sarney e Collor/Itamar, até o fim do governo FHC, em 2002, o mote da direita inflacionou.

Agora, esses "expertos", ao se venderem, estão cobrando dezenas de vezes mais do que 10 salários-mínimos, o que, diga-se de passagem, é um verdadeiro acinte aos trabalhadores autênticos das empresas de mídia, que ganham salários humilhantes, além de serem costumeiramente humilhados pelos gerentes e diretores, não raro, ao vivo e a cores.

Mas eu acho que o Roberto Marinho, como bom negociante que era, se hoje estivesse vivo, não compraria esses "exnobes" pelos salários que estão pedindo.

Até porque, hoje em dia, na avaliação da população, eles não valem 1 centavo.

᠌ Gabriel Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
᠌ Gabriel Nunes disse...

Já que vocês são comunistas, por que não vão morar em Cuba? UHAUHAHAUHAUHAUHAUHAUH... Porra, vocês comunistas mataram mais de 150 milhões de pessoas! E ainda vêm falar sobre moral. Vocês não sabem o que é moral.

Anônimo disse...

Homens e mulheres, cuja única coerência é a vontade de amealhar moedas e mais moedas. Venderam dignidade, honra, princípios, enfim, venderam o que provavelmente nunca tiveram. Carlos Lacerda é o patrono desses fariseus vivo-mortos.
Convivi no partidão com vários desses oportunistas, nunca me enganaram. Um deles, é o sr. Alberto Goldmann, hoje serviçal dos tucanos.

armando do prado