terça-feira, 26 de outubro de 2010

TUCANO DE BOCA SUJA E FICHA IDEM INSULTA JORNALISTA NOS BASTIDORES DO DEBATE

.
O senador eleito por São Paulo e ex-assaltante de trem, Aloysio Nunes Ferreira Filho, do PSDB, demonstrou, com palavras precisas, sua índole democrática e seu espírito conciliador e fraterno. Mal chegara ontem aos estúdios da TV Record, para assistir ao debate entre os presidenciáveis, o amigo de Serra não se pejou em fazer de penico os ouvidos à sua volta. Do alto de sua imanente lhaneza, tascou na lata do repórter João Peres, da Rede Brasil Atual e Revista do Brasil, a seguinte sentença, primor de candura: “Não vou conversar com você, seu pelego filho da puta! Esta revista é bancada pelo PT”.
Para ler a reportagem sobre o episódio, clique aqui.
Para saber quem é (ou foi) Aloysio, clique aqui.

31 comentários:

Joel Bueno disse...

Ele podia ter jogado uma bolinha de papel na cabeça do repórter. Era mais educado.

Anônimo disse...

Por favor, disponibilize no seu blog.

10 MOMENTOS DA POLÍTICA EXTERNA TUCANA



1. SIVAM e a insegurança nacional


Apesar de o governo ter dispensado licitação pública para o SIVAM – Sistema de Vigilância da Amazônia, no valor de US$ 1,4 bilhão -, invocando a segurança nacional, o tenente-brigadeiro Marco Antônio de Oliveira, coordenador do projeto, ofereceu aos Estados Unidos acesso total aos dados produzidos pelo sistema (fato relatado em telegrama de 28/06/94 ao Departamento de Estado americano por David Zweifel, cônsul dos EUA no Rio de Janeiro). O americano Alexander F. Watson, secretário de Estado assistente, declarou: “We are pleased that Raytheon Corporation won the contract to construct SIVAM – the largest commercial contract for a US firm in Brazil in many years”. FHC autorizou a assinatura do contrato com a Raytheon em 27 de maio de 1995.





2. CIA e Polícia Federal


No dia 12/04/95, quatro meses depois da chegada do tucano à presidência, foi celebrado o “Acordo de Cooperação Mútua Brasil-Estados Unidos para a Redução da Demanda, Prevenção do Uso Indevido e Combate à Produção e ao Tráfico Ilícito de Entorpecentes”. Esse acordo oficializou a presença do Drug Enforcement Administration (DEA) e da CIA no Brasil. Desde então, os EUA aumentaram o fornecimento de recurso e “investigative equipment such as tape recorders, video camcorders and digital still cameras”, bem como o treinamento de agentes da Polícia Federal. No dia 18/11/97, o delegado da PF Luiz Zubcov disse que a “CIA se valia do programa de cooperação com a Polícia Federal para manter sua base de coleta de informações no Brasil” - dando origem à sindicância 1414/97 na Corregedoria da Polícia Federal.





3. O tucano e Fujimori



No dia 22/07/99, Fernando Henrique Cardoso condecorou, em Lima (Peru) seu colega peruano Alberto Fujimori com a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, a mais importante comenda brasileira (Agência Folha, 22/07/99). Além da medalha, o presidente brasileiro intermediou o asilo político de Vladimiro Montesinos, que recebia da CIA US$ 5 milhões ao ano sob o pretexto de combater o tráfico de drogas. O tucano foi, ainda, o primeiro presidente do planeta a reconhecer a eleição fraudulenta de Fujimori e a apoiar seu terceiro mandato, que acabou desaguando em sua deposição e fuga para o Japão.

Anônimo disse...

4. ALCA


O projeto de formação de uma Área de Livre Comércio das Américas (ALCA) visava a possibilitar que os EUA incrementassem suas exportações, penetrando nos mercados latino-americanos, bem como garantir o acesso aos recursos naturais da região, como o petróleo, o minério, a água e a biodiversidade da Amazônia. Ao mesmo tempo, os EUA buscavam resguardar os setores menos competitivos de sua economia, preservando os instrumentos não tarifários como os subsídios agrícolas. Esse projeto prejudicaria enormemente os países da região pois significaria o estabelecimento de uma área preferencial hemisférica em detrimento da autonomia na formulação de suas políticas econômicas – além de, politicamente, garantir a hegemonia dos EUA sobre a América Latina.

Apesar da resistência do Itamaraty em relação ao projeto, fortes setores dentro do executivo federal o defendiam. Após o Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães denunciar publicamente a ALCA como parte da estratégia de manutenção da hegemonia econômica e política dos Estados Unidos, no dia 26/03/2000, o Chanceler de FHC, Celso Lafer, exonerou-o da direção do IPRI. A ALCA foi descartada apenas no Governo Lula.




5. África? Onde Mesmo?


Em junho de 1998, após um jantar na casa de campo da presidência dos EUA, o intelectual-príncipe FHC mostrou-se impressionado com os conhecimentos da então primeira-dama americana Hillary Clinton e comentou com um diplomata: “Ela conhece o assunto. Fala de líderes africanos que eu não sei nem quem são” (VEJA, 17/06/98). O fato de o Presidente do Brasil conhecer menos líderes africanos que a primeira-dama americana não é um acaso: em suas viagens, FHC permaneceu 170 dias entre os Estados Unidos e a Europa e visitou apenas quatro países africanos, onde cumpriu agenda de míseros 13 dias. Ademais, durante seu governo, algumas embaixadas em países africanos foram fechadas. Em seus 8 anos de mandato, Lula visitou 29 países (alguns mais de uma vez), totalizando mais visitas ao Continente do que a somatória das visitas de todos os presidentes anteriores, além de dobrar o número de Embaixadas brasileiras na região (Estado de São Paulo, 08/07/10).






6. Do pelourinho para o tronco



Em 1993, ainda no Governo Itamar Franco, FHC foi responsável, primeiro como chanceler e depois como ministro da Fazenda, por renegociar a dívida externa brasileira, que naquele momento era de aproximadamente US$ 55 bilhões. Um fracasso: as negociações levaram a um agravamento da dependência brasileira em relação aos financiamentos externos. Segundo o Embaixador Rubens Ricupero, o Brasil trocou “de dívida, mas não de canga, passando do pelourinho para o tronco”, subordinando-se mais e mais às políticas de Washington e do FMI (Ricupero, Rubens – Folha de São Paulo, 05/10/2003). Em 2008, durante o Governo do PT, Brasil tornou-se, pela primeira vez, credor internacional.

Anônimo disse...

7. Desvalorização do Real e, de novo, a Dívida Externa


Em 1998, apesar do consenso entre grande parte dos economista sobre a sobrevalorização do Real, FHC rechaçava a ideia de uma desvalorização da moeda, com o argumento de que tal medida”assustaria o mercado”. Na verdade, sua resistência vinha do receio de prejudicar sua reeleição, em 03/10/98. No dia 13/11 do mesmo ano, o FMI e os Estados Unidos – sempre do lado de FHC – concederam ao tucano uma ajuda de US$ 41,5 bilhões, novamente “para acalmar o mercado”. Esse dinheiro, nas palavras do economista Joseph Stiglitz, ex-diretor do Banco Mundial, foi para o bolso de financistas, que lucravam especulando com a moeda sobrevalorizada. Em cerca de um mês, o Brasil perdeu 2/3 de suas reservas internacionais. A dívida externa saltava de US$ 126 bilhões, em 1990, para US$ 236 bilhões, em 2000 – aumentando quase 100%.





8. Diplomacia “pé-no-chão”

Sintomaticamente, no dia 31/01/02, Celso Lafer, Ministro de Estado das Relações Exteriores do Brasil, sujeitou-se, apesar de toda a legislação internacional, a tirar os sapatos e ficar descalço, a fim de ser revistado por seguranças do aeroporto de Miami. Tirou o sapato novamente antes de tomar o avião para Washington e – pela terceira vez – ao embarcar para Nova York, desonrando mais uma vez seu cargo de ministro de Estado e o País ao qual servia (ou deveria estar servindo). O chanceler britânico, Jack Straw, que estava nos EUA no mesmo período, não se submeteu ao mesmo tratamento (Revista Época, 04/03/2002). Já no Governo do PT, Lula pode afirmar: “Quando inventaram a história de tirar o sapato eu disse para o Celso (Amorim): “ministro meu que tirar o sapato deixará de ser ministro. Se tiver que tirar o sapato, volte para o Brasil, porque não exigimos que ninguém tire o sapato aqui” (Discurso de Lula na Formatura dos Diplomatas do IRBr, 21/04/2010).







9. Guerra do Iraque, Bush e controle de armas



Em 2002, a permanência do embaixador brasileiro José Maurício Bustani no cargo de Diretor-Geral da Organização para a Proibição das Armas Química (OPAQ) representava um obstáculo aos preparativos para a guerra contra o Iraque – George W. Bush acusava o Iraque de possuir armas químicas, biológicas e nucleares de destruição em massa. Hoje, 2010, é consensual que essas armas nunca existiriam e que essa acusação não passou de um pretexto para se levar adiante a guerra. Na época, o Embaixador Bustani se recusou a isentar os EUA do regime de inspeção existente e empenhava-se, de igual modo, a convencer o Iraque a aceitar a vistoria internacional por parte de inspetores independentes.

Uma solução pacífica, como a proposta pelo Embaixador Bustani, não convinha a Bush: eliminaria o principal pretexto para guerra contra o Iraque. Em janeiro de 2002, o subsecretário do Departamento de Estado dos EUA, John Bolton, comunicou ao Embaixador do Brasil em Washington que os EUA estavam descontentes com a atuação de Bustani. Apesar do apoio de setores do Itamaraty a Bustani, após reunião com o secretário de Estado Collin Powel, no dia 31/01/2002, Celso Lafer prometeu que não resistiria à decisão do governo americano. Em entrevista, Lafer admitiu que não era “fora de propósito imaginar” que os EUA quisessem uma “pessoa mais leve nessa função” (Valor, 11/04/2002). O Embaixador Bustani, sem suporte de Lafer, foi destituído do cargo em 21/04/2002.

Anônimo disse...

10. Diplomacia à la Galvão Bueno


O Mercosul foi esvaziado de política pela dupla FHC-Menem com a ajuda de Domingo Cavallo, o ministro argentino que adorava as áreas de livre comércio, como Serra. Em 1999, por exemplo, no marco das sérias dificuldades geradas em diferentes setores produtivos argentinos derivados da crise internacional de 1997-1998 e da desvalorização brasileira de janeiro de 1999, o Brasil reagiu com dureza frente a medidas de proteção do setor de Têxteis tomadas pela Argentina. Apesar de parceiro no Mercosul, o Brasil recorreu à OMC contra a Argentina, gerando um evidente mal-estar entre os dois principais países do bloco (Informe-MERCOSUL, 1999-2000). A falta de sensibilidade política do Governo Tucano é ainda hoje lembrada pelos argentinos. Como afirmou o tradicional jornal argentino Clarín, em matéria de 21/04/2010, Serra “Puede desde luego conquistar el desprestigio regional”. Não é pouca coisa.

Flavio Lucio disse...

Aloysio Nunes está é com olho grande em outro "trem pagador": o do governo federal, que anda com as burras cheias, e vai encher mais ainda com o Pré-Sal. O maquinista já tava até escolhido no "governo de transição" que Sérgio Haras Guerra já tinha começado a montar: um tal de Paulo "afrodescendente" Preto, para os íntimos, "Negão do rodoanel".

Anônimo disse...

Eu tive mais sorte...
(...) um belo dia perguntei pro nosso queridíssimo e ilutr(ad)íssimo recentemente eleito senador do estado (eu 'tava estudando/morando numa das cidades da ba$e eleitoral do sujeito) se ele não tinha vergonha de depois de ter passado pela ALN, ainda mais por ter sido de um dos GTA's, defender e fazer parte de uma política neoliberal. O sujeito abriu um sorriso e veio me dizer que não era bem assim, que o neoliberalismo era revolucionário, etcetera e tal.

Anônimo disse...

Marilena Chauí está buscando o que? um levante às portas de uma eleição já tão conturbada?
APAZIGUEM esta senhora.

Joel Bueno disse...

Simpatia Serra, o sinistro da saúde, quer dizer, o ministro da saúde exterminador de empregos, desmentido por um mata-mosquito. Dá uma olhada:
http://tinyurl.com/2vqx3w7

Anônimo disse...

ai, que a bixa véia tá nervoooosaaaaaaa!!!!!

Se Nagao disse...

O Aluysio Nunes não pode dar entrevista para gente séria, senão vai ter de explicar aonde arranjou tanto material de campanha espalhado pelo estado de São Paulo (vai ter de falar do Paulo Preto) além de dar explicações sobre a notícia da "morte" do Romeu Tuma.

fábio mello disse...

Minhas condolências à família do polvo Paul.

Anônimo disse...

Eis que o pelego, filho da puta foi eleito senador por São Paulo. Esse filho da puta tá envolvido e muito envolvido com o Paulo Preto.

Mafuá do HPA disse...

caro Cloaca:
Aloysio Nunes tornou-se mesmo uma escrecência da pior espécie. E afirmo isso, pois o louvo pelo tal assalto, mas nem um pouco pelas atuais atitudes. A história desse assalto é de muita dignidade na luta contra um país opressor. A maioria dos que lá estiveram continuam hoje dignamente do lado de cá, ou seja, do lado de Lula e de Dilma. Já esse senhor, jogou na lata do lixo sua história. Os piores são os que estiveram do lado de cá e se venderam. Vendilhões do templo. Esse aí e Roberto Freire, Fernando Gabeira, Soninha e Hélio Bicudo, estão prestando um péssimo desserviço à nação.

Abracitos bauruenses do Henrique Perazzi de Aquino (www.mafuadohpa.blogspot.com)

Anônimo disse...

Antonio nunes!!!!

Aracy disse...

Aloysio que se cuide. Os brasileiros já conhecem o caminho para conseguir o impeachment de quem não tem decoro na vida pública.

Anônimo disse...

Não condeno o Aloysio Nunes pelo assalto a bancos na luta contra a ditadura mas alguém precisa cobrar dele a fuga para Paris com o dinheiro do assalto. Isto, sim, ele deveria explicar a seus eleitores paulistas.

Luis rodrigues disse...

Então eu digo, Aluisio, seu burguês filho da puta e vendido.

Anônimo disse...

E ficou assim mesmo?

Ninguém ao lado ou o repórter reagiu?

Não houve ocorrência policial?

Ficaram de refém dessa ofensa?

Bom mas me perdoem se a história é assim e não houve reação contra esse fdp, então é pque o repórter e os que rodeavam merecem mesmo...

Anônimo disse...

Cloaca,acho que devemos dar conotação a carta do Amaury,cuja imprensa vendida faz questão de ignorar.
Lá estão os primeiros passos a ser seguidos atrás da grana das privatarias,dinheiro nas Ilhas Virgens,empresas ônibus e empresas camaleão...filha de Serra,Serra,Gregório o primo,genro,cxa de campanha....
Vamos seguir o Banestado,Bornhausen e Serra na lavagem de dinheiro via Foz do Iguaçu,Bco Araucária.178.6 milhões de dólares,inclusive dinheiro de tráfico.
Vamos seguir a carta...

Nete disse...

Estou de acordo com os que defendem a história deste patife e que afirmam que ele denegriu a própria história. Como ex-"comunista". Tinha mesmo que se tornar um velhaco.
Onete Lopes

Belle Vox disse...

O sujeito é daqueles "ex-tudo".
Podia nos poupar da sua atual falta de educação.
Já notaram que eles todos são grossos e truculentos? Essa gente precisa de Eparema e lições de etiqueta.

Anônimo disse...

ENTENDA O ESTADO MÍNIMO TUCANO!

##############

Leandro Fortes: turma do Serra desvia R$ 400 milhões em SP
em http://www.conversaafiada.com.br
Auditoria comprova sumiço de recursos federais em SP

Por Leandro Fortes

Quando assumir, pela terceira vez, o governo do estado de São Paulo em 1º de janeiro de 2011, o tucano Geraldo Alckmin terá que prestar contas de um sumiço milionário de recursos federais do Ministério da Saúde dimensionado, em março passado, pelo Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus). O dinheiro, quase 400 milhões de reais, deveria ter sido usado para garantir remédios de graça para 40 milhões de cidadãos, mas desapareceu na contabilidade dos governos do PSDB nos últimos 10 anos. Por recomendação dos auditores, com base na lei, o governo paulista terá que explicar onde foram parar essas verbas do SUS e, em seguida, ressarcir a União pelo prejuízo.
(...)

SORRI, MAS FALA, MATUTO!
... A campanha da Dilma Rousseff vai apresentar, no programa da propaganda eleitoral, um resumo deste penúltimo (sic) escândalo tucano ou vai esperar que o TSE conceda 'mais' um direito de resposta à "coligação do bem"?!...

República Destes Bananas Assaltantes de "Metrôs" Pagadores!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo – ‘mais feliz do que pinto no lixo’! – com as estripulias dos [DEMo]tucanos da província de SUMPAULO!

Ary disse...

Paulo Preto é um menino de ouro: Se derreter dá o anel.

Anônimo disse...

Derrete logo Paulo Preto! Derrete logo!

Dá logo o anel!

Cafeína Mental disse...

picaretagem!
mas é isso ai.. só não vê quem faz parte.

http://www.youtube.com/watch?v=0jYBlykKdSs

divulgando um video ativismo ai..

(+_+).

Geysa Guimarães disse...

Privatizaram também a liberdade de expressão! Eles podem difamar e xingar, o resto tem que ficar calado.
Segundo Aloysio, Lula está levando o Brasil para o "Chavismo" e anuncia, no blog do Douglas Yamagata, uma "virada serrista" nas urnas.
Para o "senador-surpresa", a diferença nas pesquisas é simples "poeira".
Poeira que ele removeu no último instante. Olho vivo!

Anônimo disse...

Rapazzzzzzzzzzzzzzz! Pelo jeito Serra é discípulo dele. Ou o inverso? Imaginem esse mamão, representante do PIG( Plim Plim)lá no Senado, no meio da maioria esmagadora que representa o povo brasileiro. Em três tempos o Conselho de Ética do Senado faz ele "pegar o beco".

Falando em Serra, pq ele abandonou a passeata( 3 mil pessoas) ontem, no Recife, antes de chegar no palanque onde iria discursar? Abandonar compromissos assumidos tá na sua natureza, mas ontem tudo indica que previu o mico que iria ser a apoteose da sua passeata(?).

Semana passada os aliados de Dilma fizeram uma das maiores manifestações do estado com uma passeata( 40 mil pessoas) e sem a presença da candidata.

Companheiros, esses três dias que restam são os mais importantes de toda campanha. Eles vão atacar, como sempre, de forma vil e covarde. Nas vésperas de uma Grande Vitória( peço a Deus que escute as preces da maioria do povo brasileiro) não podemos nos dar ao luxo de sentir cansaço, relaxar. A hora é essa! Nunca (minha opinião) nosso presidente Lula, a Dilma e a democracia precisaram tanto do nosso apoio como agora. Esse coração que "Vermelhou", ao nascermos (lembrem desta linda música interpretada pela Fafá), nestes três dias tem que tá batendo mais forte do que nunca no nosso peito. Levem no olhar, quando forem votar, o que esse homem, Lula, fez pelo nosso povo e Brasil. Sobretudo levem dentro da alma, com muita fé, esse Deus,JUSTO, que não vai abandonar o nosso povo.

A vitória virá!

Janjão, o Herói do Sertão!

Hell Back disse...

Agora ele usa uma arma muito mais eficiente: a caneta.

Anônimo disse...

Por que a indignação?

O jornalista é, mesmo, um pelego FDP. Aliás, pelegos aqui tem vários. Andam recebendo bolsa-família?

E o jornaleco é bancado pelo PT. Na verdade, por quem trabalha e paga tributo, que reverte em cargo comissionado p'ra cumpanhêrada, que reverte em grana p'ra quadrilha.

Aliás, muito pelego que escreve aqui, deve ocupar cargo comissionado, e fica na internet no horário do trampo, rasgando o dinheiro do povo.

O PT é bom nisso. Vide Lula, que ficou 20 anos em campanha, sem trabalhar.

Carlos disse...

O moço teria assaltado também uma agência do Bco. Itau...