sábado, 12 de março de 2011

VERGONHA!!! CONCESSIONÁRIA GAÚCHA IGNORA TRAGÉDIA E COBRA PEDÁGIO DUPLO EM RODOVIA INTERROMPIDA POR ENCHENTE


Em entrevista concedida à RadioCom, emissora comunitária de Pelotas, a deputada estadual Miriam Marroni (PT), líder do governo na Assembleia gaúcha, denunciou a postura imoral e criminosa da concessionária de rodovias Ecosul. No apogeu da tragédia que arrasou o município de São Lourenço do Sul nesta quinta-feira, a empresa cobrou pedágio duas vezes de motoristas que rumavam pela BR 116, rumo a Porto Alegre, mesmo com o trânsito já interrompido logo à frente, na altura de Turuçu, por causa do desmoronamento de um trecho da estrada.
Centenas de motoristas de carros e caminhões tiveram que retornar a Pelotas e, na volta, foram obrigados a pagar novamente pelo pedágio de uma via que não puderam utilizar.
"A PRF deu o alerta às 2h da manhã do mesmo dia, depois que um caminhão caiu no vão da estrada; todos estavam informados da interrupção da rodovia. Mesmo assim, a Ecosul continuou deixando veículos passarem, cobrando pedágio de ida  e volta", disse Miriam. "Saí às 6h, passei pelo pedágio. Em Turuçu, com a queda da ponte, havia filas e filas de motoristas dando volta. A empresa sabia desde a madrugada e não colocou nenhuma barreira esclarecendo os motoristas, como está agora. Foi uma grande irresponsabilidade da Ecosul saber desde o início da madrugada que não havia passagem pela rodovia e não avisar seus usuários”, continuou a deputada.
A indignação era grande. Centenas de pessoas que passaram pela praça, pagaram o pedágio, percorreram cerca de 30 quilômetros para esperar na fila, retornar e novamente pagar o pedágio. “É um grande absurdo, é caso de denúncia para o Ministério Público e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). É revoltante observar que numa situação como essa, em que a interrupção da rodovia foi informada pela Polícia Rodoviária Federal nas primeiras horas da madrugada, a Ecosul não tenha orientado os operadores das cancelas a informar e orientar os usuários”, afirmou Miriam.
Foto: Nauro Júnior
.
Ouça a íntegra da entrevista:
.

40 comentários:

Anônimo disse...

Exma. Deputada Miriam
Gostaria de lembra-la que este câncer o qual tomou conta do nosso estado, ¨PEDÁGIOS¨ Na época dos governos militares não existiam e a senhora sabe bem o porque...A TRU imposto cobrado sobre os veículos, era HONESTAMENTE usado para abrir, desbravar e conservar nossas estradas.
¨PEDÁGIOS IMORAIS¨ (iniciaram) com BRITO, mas tiveram aceitação e continuidade com os governantes posteriores.

Fatima Loureiro

Anônimo disse...

Pedágio é um crime lesa-pátria e uma afronta a lei pétrea da constituição: o direito de ir e vir.

otário disse...

Nossa! Não sabia que não existiam pedágios durante os governos militares. Será que era por isso que a gente tinha que pagar tudo com o sangue do próprio corpo?
Quanto à existência nos demais governos, se não estou enganado, o contrato assinado pelo então governador Britto não poderia ser rompido por ser um texto que comprometia o Estado em caso de rompimento.
A ex-governadora tentou antecipar a renovação dos tais contratos, o que garantiria mais um bom tempo de abuso por parte das tais concessionárias.

Mas isso tudo é pequeno em pensar na tragédia lourenciana, na insensibilidade da Ecosul e na ingenuidade de alguns em pensar que na época dos generais havia honestidade nos governantes...

Anônimo disse...

Acho que ANÔNIMO está enganado. Recursos para desbravar e abrir estradas nos tempos da "ditamole" eram oriundos do "Tio Sam" que patrocinaram a "revolução" a troco de uma dívida externa que se tornou "impagável" durante os governos da direita.

Anônimo disse...

É importante lembrar isso o anonimo das 15:37. A ditadura tinha todo o poder nas mãos,uma oposição debilitada e disperssa e mais o apoio dos eua e bilhões de dolares em financiamento.Poderia ser uma oportunidade para país, mas o que aconteceu?O pais cresceu economicamente com o apoio estatal mas em beneficio de grupos privados locais e estrangeiros.As desiguadades cresceram,as dividas se multiplicaram, até hoje pagamos por tudo isso.Duas das piores heranças estão bem claras aí, a concentração da midia(tipico produto da ditadura)e o pessimo nível de escolaridade(apos a reforma em 1971 imposta pelo USAID).Acredito que a programação da midia privada e a pessima escolaridade estão relacionadas. Heranças da ditadura.

Anônimo disse...

Caro Otário!
Seria muita ingenuidade esperar sensibilidade de quem tem como Deus o $. Para eles, as vítimas da tragédia não têm qualquer importância, talvez contabilizem algum que deixará de pagar pedágio.

Ary disse...

Eu pretendia esculhambar com a Fátima, mas outros, certamente com muito mais elegância, já o fizeram. Assino embaixo.

Anônimo disse...

Ei Sr. Cloaca, onde andavas?
Estava com saudades.
Graças a Deus estas de volta.
Grande abraço,
Catarina.

Anônimo disse...

É lamentável que os participantes tenham este tipo de informação, fazer o que ? NADA!!
FAÇAM O SEGUINTE: Procurem conversar com alguem maior de 60 anos, seus pais ou avós.
Meninos, só pagou com o próprio sangue quem se desviou do caminho, pessoas de bem que não participassem de badernas não tinham problemas.
Incrível voces não saberem que no tempo dos militares, ninguem tinha grades ou cercas elétricas, até porque naquela época, um drogado desgraçado que tirasse a vida de alguem ia amanhecer com a boca cheia de formigas.
Incrível ainda, é voces não saberem quem foi que desbravou heróicamente estas estradas por onde hoje voces trafegam e que os pedágios combram para conservar.
Eu não sou partidária, não milito em partido algum, mas eu leio, converso com pessoas da época, procuro me informar e sei que embora naquele tempo as pessoas vivessem de um modo meio primitivo, ao menos elas tinham dignidade, consultem o salário mínimo da época de ...digamos...1966 a 1968, quem sabe isso lhes diga algo?
Meninos, naquela época a Tv não desvirtuava filho de ninguem, ainda havia a MORAL E OS BONS COSTUMES.
Mas se estão felizes com tudo que temos visto por ai nesses novos tempos...Quem sou eu para contrariá-los? hehehehe
Fatima

Anônimo disse...

Ih, a Fátima surtou... Acorda menina!

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Esta praga começou em 88 na Constituinte.
Lembram quando o Lula disse que lá havia 300 picaretas? Pois ele estava enganado, havia mais. A Taxa Rodoviária Única (TRU) era dividida entre União e Estados e por ser uma taxa e não imposto somente podia ser investida em rodovias, construção e conservação.
Logo depois um cearúcho (nascido no Ceará, mas vive no Rio Grande do Sul) Luiz Roberto Andrade Ponte do PMDB (construtora Pelotense especializada em rodovias) assumiu a Casa Civil do governo do José Ribamar de Araujo Costa e inventou o Selo Pedágio. Logo depois criaram o Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (pagam lanchas, navios, aviões assim como todos os veículos que rodam no país.
Este por ser um imposto é gasto de acordo com o governante de plantão já que impostos são de livre escolha na hora do gasto. Essa quadrilha trabalhou já na Constituinte. O Lula sempre esteve certo, errou somente no número que por certo era bem maior.

O ordinário do Britto era um dos 300 segundo o Lula e que penso eram bem mais.

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Aos reacionários que se manifestaram até agora sempre com cara escondida, coisa de gente que não merece crédito, pois quem é honesto mostra a cara como eu faço.
Os que estão aqui a defender a ditadura precisam lembrar que até o dia 31 de março de 1964 vigia uma Constituição que foi rasgada em 1 de abril. Penso que disse todo o necessário. Se não entederam matriculem-se no Mobral.

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Aos reacionários que se manifestaram até agora sempre com cara escondida, coisa de gente que não merece crédito, pois quem é honesto mostra a cara como eu faço.
Os que estão aqui a defender a ditadura precisam lembrar que até o dia 31 de março de 1964 vigia uma Constituição que foi rasgada em 1 de abril. Penso que disse todo o necessário. Se não entederam matriculem-se no Mobral.

Memória disse...

Exma. Sra Fatima Loureiro:

Nos tempos dos governos militares, os impostos e verbas de transportes eram usados para favorecimento de quem sustentava esses governos e para que se locupletassem civis e militares corruptos, como o czar dos transportes, o coronel Mário Andreazza. Muitas dessas pessoas, incluindo alguns militares ex-dirigentes de estatais durante a ditadura, continuaram a se locupletar nos governos pós-militares, como o Britto.

Ary disse...

Professor Hariovaldo A. Prado, vulgo "Fátima", baixou no blog. Esse professor é, realmente, muito espirituoso. Eu recuaria um pouco mais no tempo: Iria para a gloriosa época do esclavagismo. Aquilo sim era vida! Nós brancos - e bons - sendo servidos pela negadinha. Por qualquer da-cá-aquela-palha... pau na negada! Que vida! Violentávamos as negas gostosas e, quando grávidas, podíamos vender seus rebentos.Que vida! Se é episódio que deploro é a tal de abolição. E o tal voto censitário, então? Só votava quem tinha terra e muito patrimônio. Pois agora vou passar a pregar a união estável entre crianças e adultos. Sem essa de pedofilia, coisa nenhuma! Sentou no vaso sanitário e encostou os pezinhos no chão... está madura para o sexo.Tô contigo "Fátima". Que Deus continue iluminando essa bela cabecinha. Fique com Ele!

Ana disse...

É um absurdo a insensibilidade das pessoas.... Diante de uma tragédia onde muitos perderam tudo o que tinham, vocês discutindo a ditadura militar... É revoltante!!
Façam algo melhor, gastem seu precioso tempo para ajudar a quem precisa!

Anônimo disse...

isso acontece pelo fato provado aqui, o brasileiro é cordeirinho (otário).
Além de não exigir o dinheiro devolvido na volta, ainda paga novamente o pedágio.

Anônimo disse...

Não vou tocar gaita de boca para malucos dançarem.
Fiquem ai felizes com o atual sistema.BOM PARA VOCES que alguns teêm desconhecimento e outros, memória curta.
Fátima

Professor Eduardo Lima disse...

Sr. Cloaca, o blogueiro Eduardo guimarães foi ameaçado. Vamos protestar contra estes filhotes da ditadura

A extrema-direita ataca novamente

http://www.comunistas.spruz.com/pt/A-Extrema-direita-ataca-novamente/blog.htm

Betopernambuco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Betopernambuco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Betopernambuco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Betopernambuco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Betopernambuco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Betopernambuco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Credo! Que verborréia...

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

E para encerrar minha participação de hoje, gostaria de deixar uma pergunta aos defensores da Democracia e do PT, especialmente ao senhor JORGE LOEFFLER.
Se o país é democrático, porque o voto é obrigatório?
E com cobrança de pedágios onde fica o direito livre do cidadão de ir e vir?
Enfim caro senhor, sua democracia, é injusta, incoerênte, sórdida.
Por estas e muitas outras eu repito que sinto saudades dos governos militares, goste o senhor ou não.
Uma boa Tarde!
Fatima Loureiro.

Edson disse...

Pior...

POR DEBAIXO DO PANO, AGRIPINO MAIA NEGOCIA COM O PT

Felipe Maia I, o Belo, é um dos homens mais ricos do Rio Grande do Norte.

O deputado é dono de uma mina de ouro: sua empresa Comércio de Combustível para Aviação Ltda é responsável pelo combustível que abastece as aeronaves que decolam dos aeroportos de Natal e Mossoró, um negócio estimado em 50 milhões de reais por ano.

Desde 2001 a Comav é concessionária da BR Distribuidora, um dos braços da Petrobras. O contrato se expira este ano.

Um passarinho me contou que o senador José Agripino Maia, pai do deputado, e um setor do PT, trabalham para prorrogar o arrasta-pé de Felipinho nos aeroportos potiguares.

E agora, o que dirão os valentões da Taba?

Voltaire tem razão: quando o assunto é dinheiro, todos são da mesma religião.

www.ailtonmedeiros.com.br/por-debaixo-do-pano-agripino-maia-negocia-com-o-pt/2011/03/13/

Anônimo disse...

Ih, quanta réiva... Visse Demo?

Remindo disse...

Para chegar a Florianópolis pela BR-116, paguei 18 reais de pedágio e em Santa Catarina nenhum centavo, na volta pela BR-101/Freeway paguei 1,30 em Santa e 3,50 no RS.

Anônimo disse...

Obrigado pela excelente postagem! Somente os blogs publicam noticias como esta em Pelotas e região, visto que, por aqui a Ecosul compra todas a grande mídia (Tvs, rádios, jornais...), tapando a boca da imprensa com o dinheiro extorquido do povo! Isso sim tinha que ser proibido: uma empresa dessas investir tanto em propaganda e, ao mesmo tempo tão pouco em conserto de estradas. Veja como exemplo a ponte sobre o Arroio Retiro, onde não há espaços para pedestres ou ciclistas passarem: em mais de 10 anos nada foi feito pela Ecosul... Realmente o ser humano não importa muito para eles, que pena!

Anônimo disse...

O mais triste foi o isolamento da cidade de Pelotas por essa empresa!! Como permitiram esse monopólio? A Ecosul age como um urubu sobre a carniça, como uma sanguessuga, tirando o sangue de uma região empobrecida que agoniza frente aos pedágios mais caros do país!! Eles não têm misericórdia de nosso povo! Tentam fazer as pessoas engolir, através imprensa, a imagem de que ajudam a população, que mentira!! Graças a Ecosul, os preços de todas as coisas na cidade ficam mais caros! Que triste!
A. Nonimo

Anônimo disse...

É o que dá votar nos políticos da RBS! Antonio Britto, Ieda Cruzius...

Anônimo disse...

E adianta barreira em uma situação como esta? - Não, pois parecem animais curiosos capazes de tudo para ver a desgraça alheia.

Anônimo disse...

A grande mentira começa com o nome da empresa que está muito errado: não é nem ECO (pois, cortaram todas as centenárias árvores que em nada atrapalhavam a via), nem SUL, (pois, exploram sem piedade a nossa pobre região extremo sul do Brasil)...

Anônimo disse...

Por favor, poderia por gentileza com a população, alguém do ministério publico fazer uma varredura nas contas do dono desta empresa?

Anônimo disse...

Pois é, Pelotas ainda sofre com um segundo abutre: a empresa de onibus embaixador, que tem o monopolio do transporte na região, sem concorrencia... A exemplo da ecosul dita o preço da locomoção aos habitantes da região, que triste!