quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

FALÊNCIA MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS (DE IMPRENSA)

Nosso inspirado leitor, identificado apenas como Fábio Augusto, nos brindou com os versos abaixo, deixados na área de comentários da postagem anterior. . Veja que merda Daqui a pouco Meu Globo ocular Vai procurar Mas não vai achar Nem uma Folha sequer Pra limpar a bunda Neste vasto Estadão A continuar assim... À Zero Hora não restará mais nada Nem Correio, nem Diário Época em que as vacas magras, Isto É, anoréxicas, Correrão “risco de morte” Por falta de factóides E potenciais anunciantes Diogos e Reinaldos Perderão a opportunity De suas gordas mesadas Pra achincalhar a pátria amada Pois nem o”debrecht”, que já sente No e(qu)ador, Nem o mendes supremo Nem o júnior enfermo Serão salvos da ira “de sanctis” E então reinará a paz e a justiça Mas nos alimentemos com peru Já que Leitão, contaminado, Dá congestão

4 comentários:

Anônimo disse...

Sujeito bem espirituoso e inteligente.

jbmartins disse...

Isto aqui é obra prima, deveria ser colocado nos jornais de criculação se eu $$$$$$$, pagaria so para rir da Organizações Globo dos BOBOs.

Jussara Seixas disse...

Admiro cada vez o povo brasileiro.Belíssimo poema,isso tem que chegar ao povo, aos estudantes, principalmente aos estudantes de jornalismo.Tomei a liberdade de copiar com os devidos créditos e publicar no meu blog. Parabéns ao autor, Fábio Augusto.

Cloaca News disse...

Cara Jussara: quanta honra para este humilde blog receber sua visita! Aqui você pode copiar o que quiser, sem pedir licença!