segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

CARTA ABERTA À RENATA MALKES

A respeito do "escândalo" envolvendo seu nome, a jornalista Renata Malkes, correspondente no Oriente Médio do canal Globonews e do jornal O Globo, publicou em seu blog "O outro lado da Terra Santa" uma "nota de esclarecimento", que você poderá ler clicando aqui. O que nos cabe dizer é o seguinte:
.
Shalom, Rinat! O blog que primeiro divulgou as informações de seu passado militante foi o Cloaca News. Se você leu com atenção as duas postagens nossas a seu respeito, notou que EM MOMENTO ALGUM lhe fizemos qualquer "acusação", muito menos utilizamos adjetivos degradantes ou insultos. Obviamente, não deve ter sido agradável para você o reencontro com aqueles textos "do passado", principalmente em um momento como o atual. Você afirma agora "ter vergonha de determinadas posições que tive", e, acredite, não temos nenhuma razão para acreditar no contrário. Acontece que você é a correspondente do maior grupo de comunicação do país naquela região conflagrada. O material que você envia, queira ou não, está impregnado, em maior ou menor grau, com as suas vivências e envolvimentos. E aquele Balagan, seu velho companheiro de desabafos, nos mostrou a dimensão de sua militância, a ponto de ter recebido do jornal israelense Yediot Aharonot o epíteto de "warblog". Dizer AGORA que você "mudou", e que adquiriu a "percepção acerca dos fatos e do significado do sentimento de humanismo" significa admitir que nossa primeira postagem não pecou pela invenção ou pela injúria. Repare, garota, que os links que apresentamos colocam os leitores diretamente em contato com as coisas que você mesma escreveu, na íntegra, daí nosso estranhamento com essa conversa de que "diversos de seus trechos foram cortados, manipulados e interpretados de maneira maldosa". Balela! E, se nos permite dizer dessa maneira, É MENTIRA que você postava aquelas coisas "antes de atuar como repórter de O Globo ou qualquer outro veículo de comunicação por aqui". Eis a prova (role a tela para terça-feira, maio 21, 2002; sub-título "Acabou-se o que era doce"). Sobre nossa segunda postagem, com a encrenca em que você se meteu no Líbano (tentando entrar no país ocultando sua cidadania israelense), também não inventamos nada. A propósito, nesta postagem utilizamos um único adjetivo em referência à sua pessoa - "repórter-soldado" - , que, convenhamos, não é insultuoso, ofensivo ou degradante. Como era de se esperar, pelas coisas que "estavam" no Balagan, muitos comentaristas manifestaram-se, vários até com certa contundência. Para seu governo, deletamos algumas mensagens mais virulentas, em respeito à sua dignidade. O mais importante, porém, é que você talvez não tenha percebido que nosso "alvo" não era e não é você, e sim o seu empregador (se fôssemos cínicos e cruéis, estaríamos nos referindo à repercussão de seu caso como "dano colateral"; se preferir: collateral damage). Por acaso, sua chefia da Globo aqui no Brasil tinha conhecimento de suas posições humanistas sobre os árabes em geral e palestinos em particular, antes de lhe confiar a tarefa de correspondente no Oriente Médio? Como você mesma diz, "a verdade sempre vem à tona na hora certa". Bidu!!! Ex corde, Cloaca News
.
Atualização (às 19h)
Por volta das 17:45h de hoje (hora de Brasília) todos os arquivos do blog "Balagan" foram apagados do Wayback Machine.

37 comentários:

Anônimo disse...

Mas que pouca vergonha dessa mulher dizer que escreveu aquelas barbaridades quando ainda nao estava na Globo, quando no próprio blog ela assume que estava trabalhando na Globonews!

É o cúmulo da desfaçatez de uma cidadã que perdeu o senso do ridículo.

Aliás, cidadã não. Depois do que ela falou do nosso país no famigerado Balagan, esse título seria honroso demais pra ela.

Ela pode ser residente lá no estado terrorista. Cidadã brasileira é um título nobre demais para gastar com gente dessa laia.

Que Allah, se ele existir, mande um Qassam bem nas suas fuças.

Carlinhos Medeiros disse...

Faltou dignidade à Renata. Aliás, dignidade é um vocábulo que não existe no dicionário utilizado pelo exército genocida.

Renata teria ficado melhor na fita calada. Ao responder o furo do Cloaca News com argumentos confusos, cheios de mentiras e diacronismos assíncronos, deu à emenda um concerto muito pior do que lhe cabia.

Ary disse...

kkkkkkkkkkk, que saida pela tangente mais feia,heim!?

Zarastro disse...

Renata pode ter feito as pazes com o passado, mas o passado definitivamente não fez as pazes com ela.

Fábio Silva disse...

É aquela velha máxima do "leia o que eu escrevi (hoje) e esqueça o que eu fiz (antes)".

Carol disse...

nossa.
q mentirosa.
pode ate se arrepender de coisas do passado, mas apelar p "meus textos foram alterados, bla bla" é demais já.

Ghandi disse...

Quanta maldade nesses comentários. No passado, foi racista e supremacista. Mas se arrependeu. Hoje ela até deixa que o Alcorão divida espaço na estante com o Torá. Se ela continuar nesse caminho iluminado, vai perder o emprego na Globo!!!! Coitadinha.

Lingua de Trapo disse...

Matou a pau seu Cloaca, ninguém teria feito melhor.

Anônimo disse...

Sério!!!

Ela dignou-se a uma nota de esclarecimentos?
Prá que se dar a esse trabalho já que segundo ela, somos tupiniquins.
Até porque quem deve esclarecimentos é o contratante!
Hermione.

Fabricio Gimenes disse...

Veio em boa hora. Calhou perfeitamente esta carta aberta para "esclarecer" (mais ainda) as coisas.

Sigo acompanhando
Abraços,

F.Gimenes

Orlando Varêda disse...

O fanatismo religioso, seja cristão, judaico ou muçulmano, é a praga que infelicita a humanidade.

Todos esses estúpidos se consideram eleitos por um deus, e, sentem-se na obrigação divina de destruir o oponente, uma verdadeira desgraça que persiste enquanto houver tanta ignorância.

Enquanto isso, espertalhões usam essas entidades míticas criadas para apascentar o rebanho e leva-lo ao açougue.

Orlando

Nota: Coloquei esta mesma mensagem no blog da criatura em apreço.

Anônimo disse...

Impressionante como a reporter-soldado amançou nos dizeres postados em seu blog.
O tiro saiu pela cloaca!

Tulio

Carlos Cassaro disse...

Concordo com o Orlando Vareda.
Enquanto existirem multidões de incautos "fiéis" e meia duzia de espertalhões para tirar proveito, o mundo continuará sendo isso que se vê...

Enio, o "Picador de Bilhetes" disse...

Competente Cloaqueiro

Parece que a mulher caminha para uma terceira via fundamentalista religiosa de ao se tanto declarar ex-isso, ex-aquilo e acabar convertida à Universal do Reino de Edir.

Parabéns pelo furo na "cloaca" dela e da Globo.

Nana disse...

Que rídicula! Continua achando que nós brasileiros somos idiotas,uma cretina racista.

Apenas, Marcia disse...

Renata: assuma o que você pensa. Nós (eu, você e os demais blogueiros do Cloaca) vivemos em um mundo onde todos tem direito de expressão da sua verdade. Agora, pode-se falar o mesmo do povo palestino, Renata? Eles tem voz no mundo? Pelo visto não, pois morrem como moscas. Não são considerados pelo Estado de Israel como seres humanos, posto que lhes é negado o mínimo essencial à vida. Você pode pensar como quiser, Renata: você é livre; os palestinos, não. Esta é a vergonha do Estado que você defende, pois sabemos que muitos outros israelenses não pensam como você e os generais deste Exército criminoso. Jesus, o qual vocês desconsideraram a mensagem, deixou-nos o seguinte: "Porque não há nada oculto que não venha a descobrir-se, e nada há
escondido que não venha a ser conhecido" Lucas, Cap 12, Vers.2. A verdade sempre, Renata, aparece. Apareceu para você; irá aparecer para o Estado de Israel.

Marco Aurélio disse...

Renata Malkes partiu pro jogo sujo, o blog racista foi apagado da Wayback Machine.

Devem ter mandado comunicação para o Wayback pedindo pra tirar o backup do site do ar.

Sujeira da grossa. Mas nao adianta nada, pois o conteudo está reproduzido em muitos posts de vários blogs por toda a Internet.

A queimação de filme dela nao tem mais volta.

Adriano disse...

No blog do Globo ela só deixa os comentários favoráveis e apaga todos os desfavóráveis.

A nota de esclarecimento dela falta com a verdade e nega mesmo diante das provas.

Marko Acosta disse...

Bravo!
Touchè!
Cheque-Mate!

Anônimo disse...

Na verdade, dando uma olhada na descrição da WayBack Machine, em princípio os posts dela continuam lá, só não estão mais disponíveis pelos meios convencionais.

Pelos critérios de remoção de conteúdo, acho que o presente caso não se enquadra em nenhum deles, nem mesmo no tal de "embarassment", já que não se tratava de conteúdo difamatório.

Acredito que seja possível ainda, tornar disponíveis pelo menos os textos linkados pelo cloaca news.

BLOG DE UM SEM-MÍDIA disse...

Cloaca News, parabens pelo furo e por esta última resposta à nota de esclarecimentos da dita cuja. Como se sabe, a GloboNews escolhe "a dedo" seus,suas "especialistas" para dizerem o que ela quer ouvir.
Carlos Dória do "Blog de Um Sem Mídia".

Gilmar da Rosa disse...

O Cloaca acertou um qassam no figado do PIG. Arre lacaios.

Anônimo disse...

Essa criatura (Renata Malkes) proferiu insultos não só aos árabes, mas a todo povo brasileiro.
A meleca já foi feita e nós já tomamos conhecimento.
Qualquer desculpa ou desmentidos, soarão como mentiras deslavadas.

Vendedor de Bananas disse...

Parabens pelo furo! desmascarou a coitada.

Anônimo disse...

Tenho a impressão que vocês são daquele tipo de gente a favor da pena de morte, não é ?.. pois pelo ponto de vista admitido, ninguém tem o direito de errar ou modificar. "Atirem a primeira pedra..."!!!
Isso sem contar o intuito em desvirtuar o foco da questão, que é se pautar nas notícias sobre o massacre..e na forma como elas são expostas, o que a jornalista tem feito muito bem...Agora, esse tipo de indagação a esta altura dos acontecimentos, me faz parecer briga de ex-marido e ex-mulher...que se prendem ao passado e não conseguem virar a página para resconstruir a vida de forma saudável.

Anônimo disse...

Volto à pergunta crucial: como é que a GLOBO emprega uma pessoa militante de um dos lados envolvidos para ser "co-respondente" de guerra, mandando, imagina-se, notícias isentas sobre um holocausto para o nosso país? que tipo de informação recebemos? Como formar um juízo de valor sobre os fatos, quando tudo já vem devidamente manipulado e, o que é pior, com a chancela da própria GLOBO?
Pobre Renata. O nome já carrega em si o peso de um destino cruel: o de ter de renascer para ser compreendida!

Adriano disse...

Capa do Vermelho.org.br:

"14 DE JANEIRO DE 2009 - 14h08
Repórter da Globo é do exército de Israel?

Uma informação bombástica circula na globosfera: a jornalista Renata Malkes, correspondente da Globo News e do jornal O Globo em Gaza, seria uma sionista militante. A denúncia foi feita pelo blog Cloaca, que monitora as práticas do ''jornalismo esgoto''. Ele vasculhou e descobriu alguns textos da repórter da Globo, postados no seu blog pessoal Balagan - que, curiosamente, já foi deletado. No topo da página, a imagem de um palestino, associado à figura de um terrorista, e a chamada: ''Não lhes dê um estado''. Os textos revelam o mais abjeto preconceito racista.


Por Altamiro Borges"

http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=49519

Isabel disse...

Prabens, e aplausos (de pé) ao Cloaca News pelo furo.
Concordo com o Orlando, o post dele é muito lúcido. E quanto ao "anônimo", desculpe cara, mas não tem essa de remissão dos pecados.Não foi ontem a a pisada na jaca, foi hoje mesmo. Ninguem muda tão rápido.
Permitam-me esclarecer algo, que considero importante, através de um exemplo fictício: Se eleito presidente, José Serra resolver bombardear a Bolívia, todos os brasileiros deverão ser considerados assassinos em potencial? Ou afeiçoados á extrema-direita? É não. A vida é mais complicada que isso. A maioria do povo judeu não vive em Israel e quer que o estado se lasque. A maioria dos rabinos ortodoxos não crêem no estado de Israel tal como ele é, e há muitos(muitos mesmo) que o consideram uma heresia. A quem interessar possa recomendo este site, do Naturei Karta: http://www.nkusa.org/
Desprezo profundamente gente como essa "jornalista". Presta um grande desserviço ao nosso povo essa gentalha.
Abraços

Anônimo disse...

A maioria dos Repórter e jornalistas da globo, são partidários, parei de assistir um programa de debate da globonews, onde o Sr. Wack, colocava 2 contra o governo Lula e um isento, e ainda queria que engoliamos esta porcaria, com estas manobras, neste mês consegui da família, o cancelamento da assinatura da sky.

Anônimo disse...

Pela CNN, ontem à noite, num famoso programa ao vivo de uma TV israelense, durante uma entrevista por telefone com um famoso médico palestino, Dr. Abul (?), por quem os israelenses sempre tiveram grande simpatia e admiração, houve um ataque israelense à sua equipe médica, que acabou sendo transmitida inesperadamente, e todo o desespero do Dr. Abul foi ao ar.

Parece que houve um grande impacto na percepção do povo israelense.

O ataque foi à sua casa e matou três de suas filhas.
O âncora tenta consolar o médico dizendo que talvez o Exército israelense possa ajudá-lo. É incrível! O médico pergunta, aos prantos, quem deu a ordem que matou sua família e qual o motivo.

http://www.jewlicious.com/2009/0...-niece-in-gaza/

Anônimo disse...

Sabe o que eu gostaria de fato?

Que a Renata Malkes, lesse a matéria de Eduardo Galeano "Quem deu a Israel o direito de negar todos os direitos"

rc disse...

A única maneira de "corrigir" isso é ligar para o Globo e dizer: Quero cancelar minha assinatura. Por quê, senhor? Porque vocês não contam quem é a correspondente que mantêm em Israel. Grato.

Anônimo disse...

Parish Priest Recounts Tragedy of Gaza

Testimony of Father Manuel Musallam

GAZA CITY, Gaza Strip, JAN. 19, 2009 (Zenit.org).- Here is the message a parish priest of Gaza, Father Manuel Musallam, wrote for the ecumenical day of prayer for peace and justice, held earlier this month in Jerusalem.

* * *

From God's church in Gaza to the beloved saints in Palestine and the rest of the world,

The grace of our Lord Jesus Christ and the love of God and the fellowship of the Holy Spirit be with you all.

From the valley of tears, from blood-drenched Gaza, whose one and a half million residents have been robbed of the joy they once had in their hearts, I send you these words of faith and hope. As for love, that's a word that even we Christians no longer dare utter, not even to ourselves. Today, the priests of the church are raising the banner of hope. May God have mercy and pity on us and leave a remnant in Gaza. May he not put out the light of Christ, which was spread by the deacon Philip at the time of the early church. May the compassion of Christ be what reawakens our love for God, which is currently like a patient in a hospital's intensive care unit. As a priest and a father, I bear the sad news of the death of a beloved girl who was a tenth grader at the Holy Family School and the first Christian to die in this war:

Christine Wadi' Al-Turk

Christine passed away on the morning of Saturday, January 2, 2009, due to fear and cold. The windows of her house were open to protect the children from being hit by flying glass fragments, and as missiles passed over her house and her neighbors fell victim to Israeli attacks, her entire body would shake with fear. When she could not longer bear it, she cried on her Creator's shoulder and asked Him for a home and shelter with no crying, shouting, or wailing but joy and happiness.

My brothers and sisters in Christ Jesus, what you see and hear on your television screens is not the complete painful truth about what our people in Gaza are going through. Their suffering is so widespread over our land that no television or radio could report the whole truth about it. The brutal siege on Gaza is a storm that escalates by the hour; it is not only a war crime but a crime against humanity. Today, the suffering people of Gaza are appealing to the conscience of every human being with goodwill, but it will soon be our just God who decides the case.

The children of Gaza have been sleeping with their families in the hallways of their homes (if they have them) or in bathrooms, for protection. They tremble with fear at every sound, every movement, and every violent F-16 attack. While it is true that so far the F-16 jets have for the most part targeted the headquarters of the government and Hamas, they are located in residential areas no more than six meters away from people's homes, the minimum distance required by construction law. That's why people's houses are severely affected by the violence, and it leads to the death of many children. Our children are suffering from trauma, anxiety, undernourishment, malnutrition, poverty, and lack of heating.

The situation in hospitals is unspeakably deplorable. Our hospitals were not properly equipped before the war, and now there are thousands of injured and ill patients streaming in, to the point that operations are being done in the hospital hallways, and many patients are being sent to Egypt via the Rafah Border Crossing. Some of them never return because they die on the way. The conditions in the hospitals are horrifying, heartbreaking, and hysteria-inducing.

I would like to tell you a short story about something that happened in a hospital to the Abdul-Latif family. One of the children disappeared during the first attack, and his parents spent the first two days of the war looking for him but did not find him. On the third day, as the family was walking around a hospital, they found some people from the Jarada family gathered around a disfigured and injured boy whose leg had been cut off. His face was distorted not because of the F-16 attacks he had suffered but because of the glass that had fallen onto his face when part of the hospital was attacked. The Adul-Latifs approached the Jaradas to console them. When they reached the injured boy, Mr. Abdul-Latif realized that it was his son and not the Jaradas'. The families argued with each other over the issue and waited for the boy to wake up and tell them who he was so that he could be taken by the Abdul-Latifs.

I will keep my letter brief. I lift our suffering up to God just as I have presented it to you. Our people in Gaza are being treated like animals in a zoo; they don't get enough to eat, and they cry but nobody wipes their tears away. Instead of water, electricity, and food, there is fear and terror and restriction. Yesterday, the baker refused to give me bread, because he did not want to let me eat something made from flour not suitable for human consumption -- which he had begun using when he ran out of good flour -- so as not to insult my priesthood. I vowed not to eat any bread for the remainder of the war.

We want you to pray to God fervently and continually and to mention the suffering in Gaza before God in every mass or service that you hold. I send short letters with Scripture to the Christian community here to bring hope to their hearts. We have all agreed to say the following prayer every hour on the hour: "O God of peace, shower us with peace. O God of peace, bring peace to our land. Have mercy on your people, O Lord, and do not be angry with us forever." I ask you to stand up now and say the same prayer. Your prayers with us will stir the world, showing it that any type of love that is not extended to your brothers and sisters in Gaza is not the love of Christ and His church, which does not let religious and social obstacles or even wars stand in its way. When your love is extended to us here in Gaza, it makes us feel that we are an indispensable part of Christ's one universal church. The Moslems among us are our brothers and sisters. We share with them their joys and their sufferings. We are one people, the people of Palestine.

Despite all that is going on, our people in Gaza reject war as a way to achieve peace and insist that the road to peace is peace itself. We in Gaza are patient and have decided that we have no choice other than bondage or death for our country. We want to live so we can praise God in Palestine and to witness for Christ -- we want to live for Palestine, not to die for her -- but if we must die, then we will die honorably and bravely.

Let us all pray together for the true peace that Christ gives. May wolves and lambs one day live together, and bulls and cubs graze together, and children be able to put their hands in the mouths of snakes without being harmed.

And may the peace of Christ, "into which you were also called in one body," be with you all and protect you. Amen.

Your brother,

Father Manuel Musallam
Holy Family Priest
Gaza

Anônimo disse...

http://en.wikipedia.org/wiki/Megaphone_desktop_tool
http://www.giyus.org/index.html

intelligence disse...

prada purse
prada uk
prada hand bags
miu miu
miu miu handbags

LuizZ disse...

Muito bom esse post!

Os posts que ela fez antes, ninguém salvou?

LuizZ disse...

Aliás, se você entrar no Blog dela hoje, não restará dúvidas de qual lado ela ainda está.

No menu do lado direito, vemos duas seções. A primeira é: "no front israelense". Onde há inclusive um link para "ver e ouvir notícias fresquinhas da rádio do exército israelense".

A segunda é: "nossos vizinhos palestinos".

Essa é a comentarista imparcial da Globo.