sábado, 29 de janeiro de 2011

PERIODISMO DE MIERDA – PIG ABRE PRIMEIRA FRANQUIA NA EUROPA

O jornalista, escritor, filólogo e ex-padre Juan Arias, de 79 anos, correspondente no Brasil do afamado diário espanhol El País (do Grupo Prisa – maior conglomerado de imprensa daquele país), acaba de confirmar que a má-fé midiática não é privilégio verde-amarelo e que o tempo não necessariamente melhora o ser humano.
A “reporcagem” acima, estampada na edição de hoje (29) do jornalão castelhano, é exemplo acabado de um tipo de prática que por aqui abunda: a “interpretação” seletiva.
Basta uma leitura rápida da bombástica “notícia” (clique aqui para ler na íntegra) para notarmos que não há uma única palavra dita pela presidenta Dilma Rousseff que sustente o indecoroso título dado à “matéria”.
É o nosso PIG fazendo escola.

22 comentários:

Thiago disse...

Dizer que nosso PIG faz escola é dar-lhe algum valor. Na verdade, nosso PIG não passa de uma cópia vagabunda e um pouco mais despudorada (não existe pecado do lado de baixo do Equador) da imprensa estrangeira...

Reg disse...

O ElPaís está na conta dos tucanos, como o PIG?

VERA disse...

Pois não foi o El País que o Serrágio assinou para as aulas de espanhol dos alunos das escolas estaduais de SP?!!! A namarianews está por dentro deste assunto!!! Zé-baixaria e El País: tudo a ver!!!

SBENTENAR disse...

"Mi Gobierno será un incansable defensor de la igualdad y de los derechos humanos en cualquier parte del mundo". O que difere o nazismo em relação aos judeus e o Estado Sionista em relação aos palestinos é só uma questão de método.

Carlos M. disse...

Sobre os assunto, interessante o post da jornalista da Carta Capital, Natália Viana:

http://cartacapitalwikileaks.wordpress.com/2011/01/27/como-nascem-as-noticias/

Geysa Guimarães disse...

Há reportagem similar na capa da Uol. Não li porque é exclusiva para assinantes, mas o título é igualzinho. De onde será que saiu esse press release?
Mr. Cloaca, pra coisa que deve ser deixada de lado, a gente dizia em Sampa: "ÁREA"!
Portanto, "Área, sr. Arias!".

Ary disse...

Em partes, concordo com você, Sbentenar. Além do mais, nessa estória do holocausto, o PiG de então e o PiG de agora, tem um papel fundamental.

Elton disse...

O "El país" não é vinculado ao Opus Dei? O Alckmin não é membro dessa organização? Acho que o estado de São Paulo já tem um dono........

Pensante Andarilho disse...

PSDB não tinha um convênio com o El País?

Ary disse...

Atenção: a iraniana auxiliou o amante a matar o marido. Foram sete tentativas de eletrochoque. Um crime bárbaro! Até agora ninguém questionou a lisura do julgamento dela. Portanto, é uma criminosa indiciada, denunciada, julgada e condenada. Nos EUA um menino de 14 anos pode pegar prisão perpétua por ter matado a futura madrasta. Lá e cá, não há ninguém acusando os EUA de violação dos direitos humanos. Em Israel, a tortura foi incorporada na constituição como legítima para interrogatórios. Não há exemplo igual no mundo. Pelo jeito, as "vítimas" de outrora tudo podem.

Anônimo disse...

O Elton disse tudo!

Ian disse...

Seu Cloaca,

Olha esta do globo:
http://pt-br.paperblog.com/a-verdade-por-tras-do-macropina-o-peixe-pokemon-59506/

Felipe Amaral disse...

kkkkkkkkkkkk

Segundo o Priberam:

paisana
s. m.
1. Indivíduo não militar.
à paisana: em trajo civil.

paisano
adj.
adj.
1. Compatriota, patrício.
2. Que não é militar.
3. Inexperiente.

kkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Ex-padre? Velho? Certamente esse Arias é da OPUS DEI, colega do picolé de chuchu.

Henrique disse...

Pequena biografia do Geralckmin
...
- Caio Junqueira, em um artigo no jornal Valor (03/04/06), desenterrou uma carta em que ele faz elogios ao general Garrastazu Médici. Segundo o jornalista, Alckmin sempre se manteve “afastado de qualquer movimento de resistência ao regime militar… O tom afável do documento encaminhado a Médici, sob cujo governo o Brasil viveu o período de maior repressão, revela a postura de não enfrentamento da ditadura, fato corroborado por relatos de colegas de faculdade e políticos que com ele atuaram”.
Opus Dei
- Em 1976, Alckmin foi eleito prefeito da sua cidade natal por uma diferença de apenas 67 votos e logo de cara nomeou seu pai como chefe de gabinete, sendo acusado de nepotismo. Ainda como prefeito, tomou outra iniciativa definidora do seu perfil, que na época não despertou suspeitas: no cinqüentenário do Opus Dei, em 1978, ele batizou uma rua da cidade com o nome de Josemaría Escrivá de Balaguer, o fundador desta seita fascista.
...
Se deixar el coloca a opus dei dentro dos Bandeirantes!

Anônimo disse...

Ô Henrique, sei não, mas acho que ele já colocou a Opus Dei no Bandeirantes e talvez em outros lugares.... tenho um vizinho que faz parte deste troço aí ( vivia convidando meu filho, que tem 26 anos, para umas reuniões meio estranhas...) e que anda feliz da vida... Sei não...No final do mandato anterior do Xuxu chegou a ser denunciado um tipo de convênio supostamente educacional entre o governo do estado de SP e certas instituições que depois, por denúncias de mães, se mostraram ser na verdade ligadas ao tal Opus Dei,cuja finalidade era muito mais fazer adeptos do que oferecer oportunidade de educação.... Quem tiver interesse ,só dar uma pesquisada que encontra.
Lais / SP

Anônimo disse...

Bom dia. Interessante notar que tando a notícia no El País como a apresentada no UOL sumiram no domingo de tarde... Acessei as duas na madrugada de sábado para domingo e, mais tarde, tentei voltar a acessá-las e elas não mais estavam disponíveis.
Muito estranho!
Abraço,
Raul.

Jorge disse...

O aviso da presidenta, se realmente válido para o Irã como deseja apregoar o reporqueiro, deve ser tomado da mesma maneira pelos safados judeus de Israel no caso dos palestinos.

Anônimo disse...

Canalha também envelhece.

Professor Eduardo Lima disse...

Que lixo este jornal aí depois ainda reclamam que estão perdendo para a internet.

Sr cloaca, por favor leia o novo post em meu blog.

http://www.comunistas.spruz.com/pt/Resenha-do-Livro-Verses-e-Fico-O-sequestro-da-Histria-parte3/blog.htm

Anônimo disse...

A porcaria perpetrada pelo El País, como de resto toda a mídia governista chapa-branca do Brasil e no exterior, onde for venal (Time: Lula um dos 100 mais, Le Monde - premiando Lula, El País e outros) é a falsa imagem de humana e "democrática" que tentam dar à substituta interina de Lula no novo regime bolivariano que se instalou em 2003 e não vai sair, pois já manipulou as urnas eletrônicas mais antigas e vulneráveis do mundo em 2006 e 2010.

Rodrigo Néia disse...

Bom seria se a manchete correspondesse a verdade.